sábado, 16 de março de 2019

O Navio dos Mortos - Magnus Chase e os Deuses de Asgard

Título: O Navio dos Mortos - Magnus Chase e os Deuses de Asgard.
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
N. De Páginas: 361
Sinopse: Magnus Chase não sabia o que pensar sobre a anotação encontrada no caderno do tio, mas estava disposto a aceitar qualquer ajuda para impedir Loki de iniciar o Ragnarök. Mesmo sem um bom plano, ele, Sam, Alex, Hearthstone, Blitz e seus companheiros de Valhala partem em uma viagem de navio por mares turbulentos, enfrentando todo tipo de desafios na tentativa de descobrir uma forma de capturar o deus de uma vez por todas. O destino dos nove mundos está novamente nas mãos de Magnus, e agora ele vai precisar vencer seus medos e desafiar o deus da Trapaça e da Lábia em um vitupério: uma competição de insultos.

Resenha


Então, estou de volta com mais uma resenha dessa série magnífica e dos deuses ahahah... Esse é o último livro da série e eu imagino que muitos de vocês e de quem me acompanha lá no Instagram, estao exausto de a verem frequentemente.

Lembrando que eu já fiz a resenha do primeiro e do segundo livro aqui no blog e vocês podem ler clicando abaixo.



Mas agora, indo diretamente ao assunto... 

Dessa vez, Magnus precisa enfrentar uma difícil missão com seus amigos onde viajaram pelos nove mundos em busca de meios para deter Loki e mais uma vez impedir o Ragnarök. 

Magnus continua sempre protetor dos amigos e ajudando os de alguma forma a encarar os males que existem pelo caminho. Ele não sabe lutar muito bem usando sua espada, Jacques, mas sempre pode contar com a ajuda de seu poder. Já que é filho de Frey, Magnus herdou o poder de curar e faz isso frequentemente. 

           "Em seguida havia um termo que supus ser norueguês antigo. Depois, algumas anotações. E na última página, Randolph rabiscou meu nome, Magnus." 


Todos os seus amigos precisarão passar por algum tormento que envolve seus passados, direta e indiretamente. Samirah, se mostra mais corajosa a enfrentar o pai do que jamais se mostrará nos dois últimos livros, já que agora pode contar com a ajuda de sua meia irmã (ou irmão) Alex. (lembrando do gênero fluido aqui, pessoal, ok?.) 

As raízes de Magnus se mostrarão mais presentes dessa vez, sempre o ajudando da maneira que podem. E sinceramente, sempre fico xingando a mitologia por causa dessa história de os Deus não ajudarem mais aos heróis. Afinal, eles são Deuses, não morrem nunca, podem fazer o que querem na hora que querem, poderiam muito bem ajudar um pouco mais seus filhos e também diminuir a quantidade de reprodução para que pudessem dar mais atenção a aqueles que eles já tem. Deuses são máquinas de reprodução de semi-deuses. É isso aí. 

Vamos falar do fim épico que eu não sei se deveria rir ou chorar. Fiquei muito surpresa com esse fim, mas fala sério, sem querer dar spoiler, e me direcionando para quem já leu o livro, uma noz? O Deus e temível Loki tem um fim como esses? Sério, foi realmente divertido imaginar a cena. 

Me surpreendi com o fim sim, poderia ter um final mais emocionante e heróico da parte de Magnus mas considerando por tudo o que ele e os amigos passaram até chegar ao navio dos mortos até que foi interessante e enigmático. 

Rick Riordan, ainda continua sendo meu escritor preferido e não há como mudar isso. Ele é o melhor, sem dúvidas. Eu, se fosse escritora, nunca conseguiria imaginar e reunir todas as informações contidas no livro igual ele faz. E sinceramente, os outros livros de mitologia que já li, nenhum se compara aos que ele escreveu. Vocês também acham isso? Me contem nos comentários.

Beijinhos e até :D




sexta-feira, 8 de março de 2019

Finalmente, criei um canal

Olaaaaaaaa, galerinha linda desse blog...

Então, fazia algum tempo que eu queria muito criar um canal no Youtube e faltava coragem. Isso porque, eu tenho certa vergonha de falar abertamente ainda. Como todos sabem, sou melhor com a escrita. Mas, esses dias tava na minha lendo algumas paginas que encontrei no pinterest, e percebi que se eu for ligar para o que os outros pensam e dizem, nunca iria criar o canal e nunca iria tentar realizar meus sonhos. Sem contar que, nunca iria aprender a perder a vergonha de falar para muitas pessoas.

E finalmente, decidi começar a gravar pro YouTube e ate que ja saíram dois vídeos lindinhos pra voces assistirem e acompanharem um pouquinho de como é minha vida.





Não esqueçam de dar like nos vídeos, se inscrever no canal e também, quero pedir que deixem suas sugestões de temas pra gravar e vocês podem fazer isso escrevendo nos comentários.

Obrigada, beijinhos e até :D

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

A menina que colecionava borboletas - Bruna Vieira


Título: A menina que colecionava borboletas.
Autor: Bruna Vieira
Editora: Gutemberg
Ano: 2014 Numero de Pag: 152
Sinopse: Bruna Vieira está cada vez mais longe dos quinze, e sabe que crescer nunca é tão simples. Considerada uma das blogueiras mais influentes do mundo, mais uma vez ela dá vazão ao seu talento como escritora com este seu novo livro de crônicas e pensamentos, em que mostra o quanto amadurecer e conquistar a independência é maravilhoso, mas tem seus desafios e poréns. A garota do interior que usa batom vermelho e que realizou seus maiores sonhos continua inspirando adolescentes de todo o país. Para ela, as páginas deste livro significam o bater de asas das borboletas que colecionou dentro do peito por algum tempo e que agora, finalmente, pode deixar que voem livres por aí.

                                      Resenha

Antes de mais nada, queria dizer, que esse livro me inspirou mais do que qualquer outro a começar escrever. Não foi apenas o livro pra falar a verdade, mas sim, a autora dele. Bruna Vieira, que inclusive muitos de vocês ja devem ter ouvido falar e acredito que não fui a única a ser inspirada por ela. E foi por isso, que comecei a escrever todos os dias e descobri meu amor pela literatura e escrita. 

"A menina que colecionava borboletas" foi lançado em 2014 com a Editora Gutemberg, mas muito antes eu ja acompanhava a autora pelo blog, Depois dos Quinze.

Enfim, ja fazia muito tempo que queria publicar a resenha dele aqui por ser inspirador e te dar força para continuar acreditando nos seus sonhos, afinal, Bruna Vieira colecionou borboletas e hoje coleciona sonhos do mundo inteiro e nada melhor do que ela para nos ajudar a realizar os nossos também...

É um livro de literatura juvenil lindo e que expõe muitos dos sentimentos da autora, pelo menos é o que parece ser, eu acredito. Me identifiquei muito com alguns textos e achei as ilustrações bem legais, o que faz com que, a leitura não fique cansativa e também, motivacionais. Isso porque, é um livro que nos inspira a sonhar e acreditar que tudo é possível se você lutar pelo que quer. Um livro que ajuda a demonstrar mais nossos sentimentos, afinal não podemos sobrecarregar nosso coração com tantos problemas e pensamentos.


Amei a seleção de músicas que a Bruna colocou no fim do livro para que todos os textos sejam lidos com determinada musica tocando, torna a leitura mais interessante e será que posso dizer, dramática e feliz? Hahaha... Alguns te deixaram cheia de drama e outros cheio de uma alegria intensa que não tem explicação. E só lendo pra sentir.

É um livro pra ser sentido e para se entregar a literatura de peito aberto para novas emoções e experiências.

Citaçoes: 


"Todo mundo sente, então todo mundo é meio escritor. É só uma questão de coragem" 

"Livrai-me desta urgência. Não estou atrasada, nem tenho hora marcada, tampouco alguém me espera do outro lado da rua. Se quer saber, talvez eu nem precise atravessar agora. São só as luzes, aquelas que sempre estiveram nos meus sonhos e agora me fazem companhia e iluminam meu caminho. Ainda não sei para onde vou, mas como da ultima vez, sei que vou" 

Espero muito que vocês gostem do livro e da resenha e comentem o que acharam aqui em baixo nos comentarios. Bjos e até :)


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

O Martelo de Thor - Magnus Chase e os Deuses de Asgard


Título: O Martelo de Thor - Magnus Chase e os Deuses de Asgard
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrinseca
Ano: 2016                 Nº de páginas: 400
Sinopse: Magnus Chase está de volta! Sua missão agora é ajudar o poderoso deus Thor a recuperar seu martelo e impedir uma invasão de gigantes. Em A espada do verão, primeiro livro da série, os leitores são apresentados a Magnus Chase, um herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain. Morador de rua, sua vida muda completamente quando ele é morto por um gigante do fogo. Por sorte, na mitologia nórdica os heróis mortos vão parar em Valhala, o paraíso pós-vida dos guerreiros vikings. Lá, Magnus descobre que é filho de Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina. Desde então, seis semanas se passaram, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o máximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Magnus não é tão popular quanto os filhos dos deuses da guerra, como Thor e Tyr, mas fez bons amigos e está treinando para o dia do Juízo Final com os soldados de Odin — tudo segue na mais completa paz sanguinolenta do mundo viking. Mas Magnus deveria imaginar que não seria assim por muito tempo. O martelo de Thor ainda está desaparecido. E os inimigos do deus do trovão farão de tudo para aproveitar esse momento de fraqueza e invadir o mundo humano. 


Resenha


Magnus Chase era um menino que morava nas ruas de Boston até que sua morte chegou de forma trágica, caindo de uma ponte durante uma luta com um gigante do fogo. Mas acabou sendo levado por uma Valquíria para Valhala onde se tornou parte do exército de Odin. É basicamente isso que conta a história do primeiro livro, que inclusive, já fiz resenha e vocês podem ler clicando no link abaixo.


A Espada do Verão - Magnus Chase e os Deuses de Asgard


Durante a primeira aventura de Magnus para tentar evitar o Ragnarok, ele descobre que Thor (que não é nada cuidadoso e é fissurado por programas de TV) perdeu seu martelo Mjölnir. Ou melhor, não está confirmado que ele o perdeu (isso porque Thor não quer afirmar que seu martelo está perdido para que gigantes não ataquem Midgard). Mas, agora na segunda aventura de Magnus ele descobre que terá que encontrar Mjölnir que está supostamente perdido para tentar evitar o Ragnarok que pode vir a acontecer se os gigantes atacarem Midgard (que na verdade, é Boston) e além disso, Magnus precisa muito evitar um casamento e tudo isso com seus inseparaveis amigos, Hearthstone, Blitzen, Samirah, Alex (que é de genero fluido, ou seja, não se identifica nem com o genero masculino e muito menos com o feminino, e é filha de Loki, assim como Samirah.) e sua poderosa espada inseparavel e muito auto astral Jacques.

Samirah está vivendo um grande dilema em sua vida depois que seu pai, Loki, arranjou um casamento para ela com o gigante Thrym. Obviamente que ela não quer aceitar a esse casamento mas parece ser a única maneira de recuperar o martelo, sem contar que, por trás dessa história, com certeza existe uma trapaça de Loki (Deus das trapaças) e isso se torna um pouco mais perigoso do que o normal.


Durante toda a história Magnus se mostra muito protetor dos amigos, pensando muito em como agir para protege-los e Samirah mostra ter muita sabedoria e determinação mesmo com medo de não poder mais realizar os planos que sonhou a vida toda.

No primeiro livro, Blitzen é obrigado a contar a Magnus sobre o seu passado e isso se torna doloroso para ele e agora no segundo livro, a vida de Hearthstone entra em jogo e Magnus precisa ajudar o melhor amigo mudo a superar alguns traumas de infância e pagar uma divida que ele nunca foi capaz de pagar para seu pai. Também se torna um momento doloroso para ambos os personagens mas no fim tudo fica em paz, pelo menos por enquanto.

Eu fiquei muito feliz no fim da história em que Annabeth aparece para ajudar Magnus no próximo livro e quem é fã de Percy Jackson e os olimpianos com certeza amou.

A relação de Magnus com o Tio Randolph fica mais conturbada a cada dia, isso porque Magnus descobre que sim, ele está ajudando Loki, e acredite as coisas não ficam nada fáceis para os dois nesse livro.

Citação:

"Claro que tinha que ser um lobo. Todo mundo nos nove mundos ama lobos. As pessoas têm escudos de lobo, elmos de lobo, protetores de tela de lobo, pijamas de lobo e festas de aniversário com decoração de lobo. Já eu não curto muito lobos."

O autor Rick Riordan mostra que pesquisou muito tempo sobre mitólogia nórdica e consegue explicar todos os pontos principais com clareza para o leitor. Não é uma leitura cansativa, pelo contrário, é cheia de aventuras e muito animada, até porque Magnus faz piada com tudo, até nas situações de quase morte dele e seus amigos.

Citação:

"O problema dos deuses é que não dá para simplesmente estapeá-los quando eles agem como idiotas. Eles só vão revidar com outro tapa e matar você."

Vale muito a pena ler se você é amante de mitologia nórdica e de adolescentes que se tornam semi-deuses do nada hhahaha. Não esqueçam de deixar nos comentários sua opinião sobre o livro e qual parte você mais gostou, assim como, aquela parte odiada. Bjos e até ;)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Seja mais humano!

Olá pessoas, o post de hoje é sobre um assunto muito importante não só para sua saúde mas como para salvar o planeta e nos ajudar a ter mais humanidade. E também, irei falar sobre um desafio que ultimamente tem conquistado muitas pessoas. Continuem lendo abaixo.



Muitas pessoas já aderiram a esse estilo de vida livre do consumo de carne animal e confesso que já fiquei dois meses sem ingerir nenhum tipo de carne mas falhei. Enfim, isso é história pra depois e quem quiser saber eu conto nos comentários. Voltando ao vegetarianismo, o mesmo costuma ser classificado em vários tipos como:
   -Ovolactovegetarianismo: pessoas que consomem ovos, leite e latícinios e eliminam apenas a carne da dieta.
   -Ovovegetarianismo: pessoas que consomem apenas ovos, eliminando leite, laticinios e carne da dieta.
   -Lactovegetarianismo: pessoas que não consomem ovos e carne mas não eliminam o leite.
   -Vegetarianismo: pessoas que não consomem carne e nenhum tipo de derivado.
 


Motivos para excluir a carne da sua dieta


De acordo com o site da Sociedade Vegetariana Brasileira, você pode eliminar a carne da sua vida por saúde, ética, meio ambiente e pela sociedade. Isso porque tendo ética fazemos a escolha de não compactuar com o sofrimento e com as grandes industrias exploradoras de animais que diariamente são mortos para nosso consumo e que inclusive, esses podem sentir dor e ter sentimentos assim como nós humanos.

Podemos elimina-la das nossas vidas por nossa saúde afinal, pesquisas já comprovaram que consumo de carne pode levar a ter problemas como colesterol alto, diabetes, obesidade, entre outros. Pelo meio ambiente porque mais estudos comprovaram que a pecuária é também uma das causas do efeito estufa no planeta além de ser causador também do desmatamento da amazônia e de outros problemas sérios que o planeta vem enfrentando e se não acordamos para o que está acontecendo no futuro teremos problemas maiores que serão deixados para nossos filhos.

São várias as consequências causadas pela exploração animal hoje em dia e aconselho a assistirem a alguns dos documentários abaixo para ter uma visão mais ampla do que significa vegetarianismo e os motivos que levam as pessoas a aderirem a esse estilo de vida como: Cowspiracy, Vegucated, A carne é fraca, Terráqueos e outros.


Campanhas criadas para ajudar na diminuição do consumo


Sabemos o quanto é difícil excluir totalmente a carne das nossas vidas, até porque crescemos com a ideia de que comer carne é preciso para a saúde e que a falta dela pode causar diversos tipos de doenças mas pelo contrário, isso é errado e já foi comprovado em diversas pesquisas cientificas de que os nutrientes presentes na carne não são extremamente necessários para nosso organismo, isso porque eles podem ser encontrados em diversos tipos de alimentos vegetais, grãos e etc.
Você pode, se quiser é claro, tentar evitar a carne da sua vida e não compactuar com o sofrimento de animais e tudo que isso envolve começando a aderir a uma dessas duas causas abaixo.

Segunda sem carne 


A segunda sem carne é uma campanha criada pela Sociedade Vegetariana Brasileira junto com a secretaria do verde e do meio-ambiente da prefeitura de São Paulo. Essa campanha propõe a você eliminar a carne e outros alimentos de origem animal das suas segundas-feiras com a intenção de conscientizar as pessoas sobre as consequências que o consumo da mesma gera para nós seres vivos e principalmente para o planeta. Eu mesma aderi a essa ideia porque não quero cortar tudo que envolve carne do nada na minha vida, quero desacostumar aos poucos, sem pressa e essa é uma boa opção para quem também quer começar assim. Para saber mais a respeito acessem a página do movimento no Facebook clicando aqui.

Desafio 21 dias sem carne 


Esse é um desafio criado também pela SVB com o mesmo intuito, diminuir o consumo de carne e ajudar com as questões que expliquei acima. É um desafio bem elaborado para que as pessoas cortem a carne por 21 dias, fazendo isso estará proporcionando vida a vários animais, ajudando o planeta e ao final, acredito que a pessoa nem irá mais querer comer carne na vida. Para participar basta se inscrever no site clicando no link abaixo. Esse desafio é bem interessante pois possui um grupo de especialistas no assunto que irão te ajudar dia após dia a evitar o consumo por e-mail. Todos os dias você receberá um e-mail com dicas, receitas e etc para te ajudar a passar por essa fase que no fim, deve proporcionar uma sensação de bem estar maravilhosa.



Fomos ensinados desde pequenos que porcos, bois e galinhas são criados para virarem alimento mas temos que entender que isso pode mudar, que podemos ensinar aos nossos filhos que não é assim. Que os animais possuem sentimentos e que o mesmo amor que sentimos por nosso cão de estimação devemos sentir por outros animais, afinal eles são iguais de alma. Seja mais humano!
Qualquer dúvida ou sugestão vocês podem deixar nos comentários abaixo. Bjos e até ;)



segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

TIMESTORM - Trilogia Tempest - Julie Cross


Título: Timestorm Autor(a): Julie Cross
Editora: Jangada
Ano: 1990      Nº de páginas: 368
Sinopse: A batalha entre o Tempest e o Eyewall, as duas divisões da CIA que combatem as ameaças relacionadas a viagens no tempo, chega a uma conclusão chocante neste último livro da trilogia Tempest. Agora, a busca pela sobrevivência estende os limites da história, tanto no passado quanto no futuro, e o mundo que Jackson Meyer conhecia se torna um lugar marcado para sempre pelos efeitos nocivos das viagens no tempo. Quando Jackson escapa das garras da morte depois da sua mais longa viagem, ele se vê cercado não só pelas pessoas que ama - seu pai; sua irmã, Courtney, e sua namorada, Holly -, mas também pelos primeiros viajantes no tempo do projeto Tempest. Enquanto descobre mais sobre as origens da viagem no tempo e a época em que foi parar, ele constata que precisa deter os experimentos de Thomas e do Dr. Ludwig na sede do Eyewall. O que se inicia como um plano de fuga torna-se uma guerra entre o tempo e a humanidade, entre o livre-arbítrio e a paz. Trata-se de uma batalha que Jackson foi destinado a travar e da qual não pensa em desistir. Nada o deterá. Nem ninguém.


Eu já havia comentado sobre Timestorm da autora norte-americana Julie Cross no Instagram e também já publiquei as resenhas dos dois primeiros livros aqui no blog, que são: TEMPEST e VORTEX

Também já disse sobre o quanto eu amei essa série e toda a sua história maluca e cheia de informações que possui um desfecho digno de Oscar e de série na Netflix! (Hahahah)

É sério, "Tempest" foi o início de tudo e me deixou com aquela palpitação no coração com muita curiosidade pra saber o que iria acontecer, assim como Vórtex também. E pra falar a verdade, Timestorm, é o melhor dos três livros. O melhor porque mesmo em meio a confusão que é a cabeça de Jackson e todas as suas informações sobre viagem no tempo que acabam fazendo com que o leitor leia a mesma página várias vezes pra entender essa ideia maluca, ele tem um final surpreendente. Quando todos acham que o que é pra acontecer, definitivamente, irá acontecer. E que não existem mais chances de imaginar o impossível porque se trata do fim da história, do fim de Jackson. Há! A autora nos dá um choque tão grande porque o impossível se torna possível e tudo o que imaginávamos pra vida de Jackson e Holly, finalmente, se realiza. Digamos que, é um digno final feliz.

No início da história, Jackson fica preso em um futuro muito distante junto de seus amigos e algumas pessoas que por lá já viviam, ou melhor, os primeiros viajantes no tempo a existir nesse mundo. Até que, surge alguém que Jackson jamais imaginaria que poderia ajudar e esse alguém dá início a uma fuga. Uma fuga perigosa e que poderá colocar em risco a vida de algumas pessoas muito importantes para ele.

Sem contar que, ele começa a se aproximar de Holly mais do que deveria, novamente. Só que dessa vez, os dois já enfrentaram tantas coisas que deixar de se aproximar por conta dos riscos que isso trará, não faz muito sentido.

Engoli o choro quando cheguei a última página do livro, porque a história acabou. E agora só me resta, começar a ler tudo novamente! Fico pensando, como pode a autora ter tanta imaginação para escrever uma história com tantos detalhes e informações científicas que eu não sei se existem. Com certeza, não deve existir mas, quem sabe né, se algum viajante do tempo estiver lendo isso me leve para Paris, obrigada!

Brincadeiras à parte, a guerra que se inicia nesse último livro da série possui uma magnitude gigantesca até porque, alterando o futuro eles também irão alterar o passado.

E o melhor de todas as coisas que já aconteceram com Jackson, sem duvidas, foi o fim da história onde uma pessoa que jamais imaginaríamos influenciar em algo na vida dele, irá influenciar e isso o ajudará a extinguir a viagem no tempo pelo menos por alguns anos.

Não vi até hoje um final mais épico e maravilhoso do que esse.

Vocês já leram? O que acharam da série? Deixem nos comentários do insta ou nós comentários do blog abaixo. Beijos e até a próxima resenha literária ❤️

domingo, 30 de setembro de 2018

Magnus Chase e os Deuses de Asgard - A espada do Verão

Título: Magnus Chase e os Deuses de Asgard - A Espada do Verão
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrinseca
Ano: 2015        Nº de páginas: 448
Sinopse: A vida de Magnus Chase nunca foi fácil. Desde a morte da mãe em um acidente misterioso, ele tem vivido nas ruas de Boston, usando de muito jogo de cintura para sobreviver e ficar fora das vistas de policiais e assistentes sociais. Até que um dia ele reencontra tio Randolph – um homem que ele mal conhece e de quem a mãe o mandara manter distância. Randolph é perigoso, mas revela um segredo improvável: Magnus é filho de um deus nórdico.As lendas vikings são reais. Os deuses de Asgard estão se preparando para a guerra. Trolls, gigantes e outros monstros horripilantes estão se unindo para o Ragnarök, o Juízo Final. Para impedir o fim do mundo Magnus deve empreender uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos.Quando um ataque de gigantes do fogo o força a escolher entre a própria segurança e a vida de centenas de inocentes, Magnus toma uma decisão fatal. Às vezes é necessário morrer para começar uma nova vida...

Resenha


Um dos autores que fez o meu amor pela literatura despertar foi Rick Riordan. Lembro de ter começado com o famoso Percy Jackson e o Ladrão de Raios, da série Percy Jackson e os Olimpianos. Desde então, sou apaixonada pela mitologia grega e agora, aos poucos, me encantando com a Mitologia Nórdica, sem contar que estou tentando completar minhas coleções com todos os livros do autor. Sem voltas, vou contar um pouco sobre a vida de Magnus Chase.



Magnus Chase é um garoto que mora nas ruas de Boston desde que perdeu sua mãe e foi a partir desse mistério que sua vida começou a ficar estranha. Ele vive junto de seus amigos Blitz e Hertz sempre tentando sobreviver.

Certo dia, Magnus é encontrado por seu tio Randolph e acaba descobrindo que é filho de um deus Nórdico e que precisa encontrar a antiga espada de seu pai, a Espada do Verão. Uma arma poderosa que pode dar inicio ao juízo final - O Ragnarok - e é ele a única pessoa capaz de renovar e empunhar a espada que possui uma personalidade própria. Mas, ele morre. Sim. Ele morre e nessa parte da história fiquei com uma péssima impressão do livro. Logo pensei: "não acredito que ele morre no inicio da história, e agora?" mas, dei seguimento a leitura e percebi que mais uma vez, Rick Riordan, criou uma história perfeita.

Após a experiência de morte que Magnus teve durante sua luta com Surt, o gigante do fogo, ele foi enviado para Valhala e se tornou um Einherjar, o lugar para onde são enviados os mortos honrosos para fazerem parte do exército de Odim e aguardarem o Ragnarok. Isso lhe deu, uma nova chance de vida e um novo corpo idêntico ao seu anterior. Ele começa a descobrir que seus amigos, na verdade, não são humanos e que estavam o tempo todo ao seu lado para lhe proteger. Descobre também que existem: Valquírias, nornas, nove mundos, monstros marinhos, gigantes do gelo e do fogo e outros.

Depois de Valhala, ele precisa encontrar novamente a Espada do Verão, que se perdeu quando ele morreu e para isso é preciso enfrentar alguns monstros marinhos e uma deusa em especial. Ele consegue recuperar a espada perdida e sua missão é tentar impedir que Surt a use para soltar o lobo Fenrir e dê ínicio ao Ragnarok.

Uma das minhas principais dúvidas sobre a história foi se Annabeth (prima de Magnus) é a mesma Annabeth da série "Percy Jackson e os Olimpianos" e se esses mundos da Mitologia Grega e Nórdica em algum momento irão se intercalar. Seria muito legal se Percy aparecesse em alguma aventura dos próximos livros, mas isso só irei descobrir quando ler o próximo livro.



Rick Riordan mais uma vez, arrasou com suas aventuras mitológicas e sua escrita que prende o leitor logo no ínicio da história. Ainda continua sendo um dos meus autores preferidos e recomendo muito a lerem todos os livros publicados por ele. A série do Magnus, tem mais dois livros que são: O Martelo de Thor e O Navio dos Mortos.

Em breve irei resenhar essas continuações da história e atualizarei esse post. Mas enquanto isso, que tal vocês se aventurarem na história de Magnus assim como eu?

Beijinhos e até ;)


quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Tartarugas até lá embaixo - John Green

Título: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrinseca
Ano: 2017
Nº de páginas: 269
Sinopse: Aza Holmes não está disposta a sair por ai bancando a detetive para solucionar o mistério do desaparecimento do bilionário Russell Pickett, mas há uma recompensa de cem mil doláres em jogo, e sua melhor amiga, a destemida Daysi, quer muito botar a mão nesse dinheiro. Assim, as duas vão atrás do único contato que tem em comum com o magnata: o filho dele, Davis.
Aza está tentando. Tenta ser uma boa filha, uma boa amiga e uma boa aluna, mas, aos dezesseis anos, e ainda não encontrou um modo de lidar com as terríveis espirais de pensamento que se afunilam cada vez mais e ameaçam aprisiona-la.
Neste livro arrebatador e sensível sobre amor, resiliência e o poder de uma amizade duradoura, John Green conta a tocante história de Aza, lembrando que a vida sempre continua e que muitas surpresas nos aguardam pelo caminho.



Comecei a ler esse livro na terça-feira dia 04/09 e passei praticamente o dia todo com ele na mão. Sabe aqueles livros que te empolgam e você pensa: "Só vou ler mais um capitulo" e quando você vê já está quase terminando a história? Tartarugas até lá embaixo é sem dúvidas, um desses livros.

Eu já havia escrito esse título aqui no blog umas duas vezes, e ele era o próximo da minha lista de livros para ler no mês de Agosto (que por acaso, eu não consegui cumprir).



Lembram de "A culpa é das estrelas" o livro que contava a história de amor de Hazel e Gus e suas vidas trágicas? Pois então, o livro de hoje é do mesmo autor, o nosso querido e respeitado, John Green. Sinceramente, preciso dizer logo de inicio que essa história também merece virar um filme e que segundo o site Adoro Cinema, a Fox adquiriu os diretos desse livro e então, ele pode SIM ser adaptado para as telonas.

Também preciso contar que, mais uma vez, o autor tratou de alguns assuntos sérios em relação a saúde das pessoas. Dessa vez, o autor tratou sobre TOC - transtorno obsessivo compulsivo - e conseguiu passar os sentimentos de Aza muito bem para o leitor. Eu até me senti um pouco sem ar, desesperada e com uma vontade incontrolável de apertar o dedo médio com a unha do polegar (eu apertei, mas não tive coragem de fazer sangrar, deu medo).

Aza Holmes é uma menina de 16 anos que estuda na White River High School em Índianápolis e que tem TOC. Sua melhor amiga chama-se Daysi e as duas se conhecem desde pequenas, e recentemente, ela ficou obcecada em virar uma detetive por causa de uma recompensa de cem mil dólares por alguma informação que levasse ao paradeiro de Russel Pickett, CEO da empresa Pickett engenharia.

Daysi fica obcecada em encontra-lo e Aza também entra em ação. Isso é tratado como uma brincadeira por Aza mas Daysi leva um pouco mais a sério. As duas sabem que, Davis Pickett é o filho mais velho do magnata fugitivo e lembram que Aza era amiga dele quando ele tinha onze anos e então, como em uma brincadeira as duas começam a investigar e encontram uma pista.

No meio dessa investigação, Aza começa a se aproximar novamente de Davis e os dois vivem um romance um pouco confuso e diferente dos que vemos na maioria das histórias. É diferente porque se trata de um amor sem todos os clichês que são cheios de beijos, sexo e etc. Tem alguns detalhes que impedem os dois de namorar digamos que da "maneira correta" e isso acaba frustrando muito esse relacionamento. E também que esse romance, na história é tratado como um simples acontecimento. O assunto mais frequente na história é de como é a vida de Aza com a doença (TOC) ou melhor, retrata como é a vida de quem tem TOC.

Todos vivem momentos difíceis. Aza perdeu o pai a alguns anos e ainda não superou a dor. Davis perdeu a mãe a alguns anos e agora acabará de perder o pai. Isso não está sendo nada fácil para ele afinal, tem toda a investigação em cima do pai desaparecido, a dor por te-lo perdido, o sofrimento de não saber como ajudar o irmão a se sentir um pouco melhor, o relacionamento com Aza que tem sido lindo porém difícil, e todo o peso do dinheiro e as responsabilidades futuras. Daysi também se vê um pouco frustrada por Aza não dar tanta atenção quanto deveria a amizade das duas mas isso, logo se resolve quando Daysi entende melhor o que é ter transtorno obsessivo compulsivo.

A ansiedade de Aza não melhora em nenhum momento e em todos os episódios que isso acontece ela fica maluca. Ela só queria parecer um pouco "normal" perto de seus amigos e não deixar a espiral de pensamentos se afunilar cada vez mais dentro da sua cabeça, mas, isso se torna praticamente impossível pra ela. As consultas com a Drª Singh parecem não adiantar muito e cada vez que ela vê que a mãe está preocupada, parece que tudo só piora.

Várias ocorrências da história só acontecem por causa da doença de Aza e ela se sente péssima por isso. É uma história bem interessante pra ser lida. O foco principal da história, como eu já disse acima, é a TOC mas também tem amizades verdadeiras, romance, um pouquinho de ação, e outros dilemas.

Sobre o final da história que não posso contar, eu encontrei muitas pontas soltas que podem futuramente serem tratados em uma continuação da história, que eu sinceramente, acredito que não irá ter. Isso seria maravilhoso para nós leitores que adoramos e também para não ficarmos com essas perguntas na cabeça:

- Quais foram as razões (fora a de ser preso) para o Magnata fugir e ir para onde foi?
- O "até logo" de  Aza e Davis significa que eles ficaram juntos ou que não ficaram juntos?
- Sabemos que a amizade entre Aza e Daysi se fortalece cada vez mais, mas a dúvida é, será que elas conseguem ir pra faculdade?
- Aza melhora com suas terapias, remédios e etc? Seu TOC melhora de alguma forma?

São perguntas que ficaram guardadas e não respondidas mas acredito que esse seja o encanto de John Green.

Quotes preferidos: 

"Eu, pronome pessoal no singular, continuaria seguindo em frente, mesmo que sempre numa oração condicional. Mas você ainda não sabe nada disso. Apertamos a mão dele com carinho. Ele retribui o gesto e aperta a nossa. Vocês olham para o mesmo céu, juntos, e enfim ele diz:  Tenho que ir. E você responde: Até logo. E ele diz: Até logo, Aza. E ninguém nunca diz até logo a menos que queira ver a pessoa novamente."

"Mas eu estava começando a entender que a vida é uma história que contam sobre nós, não uma história que escolhemos contar.
A gente finge ser o autor, claro. Não tem outro jeito. Quando as entidades superiores fazem tocar aquele sinal monótono, exatamente as 12h37, você pensa: Agora eu decido ir almoçar, mas na verdade é o sinal que decide. A gente acha que é o pintor, mas é a tela."

"Teria contado que, mesmo na época, Davis e eu não conversávamos muito, sequer nos olhávamos muito, mas que isso não importava, porque estávamos observando juntos o mesmo céu, o que, para mim, talvez seja mais íntimo do que contato visual. Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu" 


 Quem já leu, deixem nos comentários suas opiniões e espero que tenham gostado. Indico muito esse livro, vale a pena ler. Beijinhos e até ;)


sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Vortex - Julie Cross - Resenha

Título: Vortex
Autor: Julie Cross
Editora: Jangada              Nº de páginas: 384
Ano: 2013
Sinopse: Jackson Meyer agora é um agente secreto da Tempest, a misteriosa divisão da CIA responsável por oferecer proteção contra todas as ameaças relacionadas a viagens no tempo. Preso no passado após a tentativa de salvar Holly, ele tenta apagá-la da sua vida para não colocá-la em perigo. Mas o Eyewall, um departamento rival da CIA, descobre sua antiga ligação com Holly, colocando novamente em risco a vida dos dois, assim como a de seus parceiros. Eles irão descobrir que a realidade em torno deles é muito diferente do que pensavam.








E aí amantes da literatura, hoje a resenha é do segundo livro da série Tempest da autora norte-americana Julie Cross. Pra quem não leu, já postei a resenha do primeiro livro e vocês podem ler clicando no link abaixo.


Resenha - Tempest - Julie Cross


Mas enfim, vamos falar sobre Vortex e sua história eletrizante que me fez devorar o livro em três dias. Convenhamos que não é muito bom ler um livro tão rápido assim mas quando a gente se empolga com uma história não tem muito o que fazer, certo? Certo. E mandando a real mesmo, se conseguirem leiam esse livro com atenção e calma. A viagem no tempo é uma teoria muito louca e eu acabei me perdendo várias vezes (por isso a dica).

Enfim, depois de tudo que acontece em Tempest (primeiro livro)  com Jackson, ele e seu pai decidem que é melhor ele ir para um treinamento junto com pessoas que combatem os inimigos do tempo e também para manter-se afastado de Holly e para tentar mante-la segura. A leitura do inicio do livro foi um pouco arrastada e fiquei sem ânimo pra ler por uns dias e depois recomecei com um esforcinho pra ler o restante e acabei me empolgando no meio da história.

Assim como no primeiro livro, precisei de muita atenção para ler alguns detalhes sobre viagem no tempo. Isso é muito louco e fez com que eu ficasse um pouco confusa nas teorias apresentadas. Jackson também fica muito confuso com essa capacidade que ele tem de viajar no tempo mas acaba se sentindo mais a vontade perto de seus companheiros que também possuem essa capacidade. Como eu disse acima, leiam com atenção e paciência.

Voltando a história, Jackson acaba conhecendo uma nova garota que faz com que ele deixe de lado um pouco os sentimentos que tem por Holly. Não sei se posso chamar de "relacionamento" mas digamos que, é um pouco complicado para ambos os dois e não, eu não posso dizer o nome do personagem mas posso falar alguns detalhes como, por exemplo, eles treinam juntos, se beijam em certo momento da história, e continuam juntos lutando contra os inimigos do tempo no terceiro livro. Com isso vocês já sabem que essa personagem é importante e que continuará ao lado de Jackson.


“Eu tinha dito as palavras a Holly aquela noite... Não tem volta. E, embora na hora não tivessem esse significado, agora elas pareciam uma maldição.”


A parte que mais me interessei pelo livro e que me fez engolir palavras foi quando Jackson e seus companheiros de treinamento partem para uma missão em certa cidade e é ai que a vida de Jackson começa a desabar de novo. Sentimentos voltam. Pessoas morrem. Novas informações sobre viagens no tempo são descobertas e o pior, o livro termina digamos que, em uma 'guerra'. E quando estamos ali, todos empolgados lendo as palavras rapidamente pra saber o que acontece, a história de Vortex termina. E aí, é só em Timestorm pra descobrir o que acontece a todos.

Nesse livro, Jackson passa por coisas mais difíceis do que no primeiro. Ele se sente mais seguro pra usar uma arma mas não se sente seguro com os sentimentos que ainda possui por Holly. As novas descobertas que eu disse acima, ficam cada vez mais confusas e mais difíceis de entender tanto para o personagem quanto para nós leitores. As pessoas que morrem fazem com que Jackson sinta-se culpado na maior parte da história e é ai que a vida dele, desaba completamente fazendo com que a raiva que ele mantem do Eiwall (inimigos do tempo) cresça a cada dia após esses acontecimentos.

Por hoje, é isso que posso dizer a respeito de Vórtex e espero, de coração, que vocês se apaixonem pela trilogia assim como eu. Leiam e deixem nos comentários suas opiniões a respeito dos livros.

Beijinhos e até ;)




quinta-feira, 30 de agosto de 2018

A playlist que eu preciso compartilhar

Todos nós temos as músicas que mais ouvimos durante nosso dia a dia e que trazem sensações boas para nossas vidas.

Portanto, hoje não tenho muito a dizer sobre algo. É claro, que eu tenho milhões de palavras guardadas aqui dentro para serem digitadas por aqui mas tudo tem seu tempo certo e hoje é dia de música baby. Então, dá o play e se prepare para ouvir as minhas queridinhas.



















Essas são as músicas que mais fazem parte do meu dia-a-dia atualmente! E agora, que tal vocês me mostrarem a de vocês?

Beijinhos e até ;)

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©